13/06/2017

QUANDO A JUSTIÇA FALHA

Vou contar-vos uma história...
Sou tia e madrinha, de uma menina de 2 anos e meio linda, inteligente e muito teimosa...tal como todas as meninas devem ser, penso eu. Desde o dia que a minha irmã descobriu que estava grávida que tem sido uma triste evolução de eventos. A primeira coisa dita da parte do "pai", vamos chamar-lhe apenas progenitor foi que a criança não era dele (coisa que durou toda a gravidez e muitos meses após o nascimento). A segunda foi, que o progenitor, sendo apenas uma criança de 26-27 anos colocou a prima e a mãe a tentar resolver o assunto, o que fez acontecer ameaças e um telefonema muito maduro da mãe do progenitor para a minha irmã a dizer que a culpa da gravidez era da minha irmã porque foi ela que se meteu debaixo do filho. Sim, essa linguagem e muito pior ao telefone. A minha sobrinha acabou por nascer, saudável não graças a toda aquela família incluindo o progenitor. Levou a família toda para a Maternidade, mais parecia os ciganos (com todo o respeito por eles), que devia ser para ver se a criança era parecida com ele. Bem se lixou que a criança é a cara chapada dele! Bem, entre trabalhar fora, e as noitadas cá quando estava em Portugal poucas vezes via a filha ou estava com ela. De vez em quando aparecia com um pacote de fraldas, ou uma lata de leite... Isto sempre com conversas que a filha não era dele quando se lembrava, e durante algum tempo a minha irmã tentou que resultasse mas enquanto ela ficava em casa ele andava a passear durante o dia e em discotecas à noite. Tudo bem, é um jovem. Não escolheu ser pai. Ninguém pode condena-lo por isso. Mas a relação acabou por não funcionar assim.
Arranjaram outras pessoas, ele primeiro. Pessoas essas que quando a minha sobrinha tinha por volta de um ano foram para casa dos meus pais querer bater na minha irmã, por causa da nova namorada do progenitor andar com coisas no Facebook (coisa de gente que não tem de fazer). Foi a tal namorada, agora também mãe do terceiro filho dele (sim, depois da minha sobrinha ele já tem três filhos), o irmão da namorada, um amigo e ele para baterem na minha irmã, partiram os vidros da porta de entrada, gritaram que ela era uma p*** e que a iam apanhar e a iam matar, etc. Daí resultou um processo de Violência Doméstica que hoje já foi fechado porque ele disse que não fez nada. Sim, ele disse que não por isso o menino é inocente!
No meio de tudo isto, com a pensão a falhar, falou-se com a Segurança Social por causa da possível ajuda já que a mãe seria monoparental. Mas a Segurança Social foi para a frente com um processo em Tribunal devido à falta de Pensão em Março que resultou com que o progenitor, essa pessoa que foi bater numa rapariga com 2 tipos e a nova namorada, que tem um processo de roubo e de violência doméstica em cima, o irmão preso por Posse de Droga, a mãe fora do país, sem sabermos onde ele vive, etc, tivesse direito a ir buscar a minha sobrinha uma vez por semana, o dia todo, sem a criança conhecê-lo, estar com ele há meses...anos talvez! Pegar nela e levá-la... Sem preparação nenhuma. Pegar numa criança de 2 anos e ir embora. A minha irmã seguiu todas as regras que aquela (ignorante, seca, incrivelmente desumana) Juíza ordenou, mesmo isso partindo o coração a todos nós vê-la agarrada aos nossos pescoços, a chorar e a dizer que não queria ir... Mas foi.
Depois de várias ameaças utilizando o advogado do progenitor, ele veio buscar a minha sobrinha, e entregava-a mais-ou-menos conforme o combinado pela Juíza...até deixar de acontecer. Ora não vinha a horas, ora trazia-a muito depois da hora, ora nem aparecia ou dizia nada. Mesmo depois de mudarem  entre a minha irmã e ele o dia de a vir buscar por causa do trabalho dele. E pensão, nada! Mas isso não chega para quem pode e manda!
Hoje voltou a ter uma sessão no Tribunal, onde mais uma vez a Juíza mostrou ser um dos piores seres humanos que caminha pela Terra, onde declarou que a criança, que chora ao ver o pai e que ficou aterrorizada sempre que a porta batia tem de ir passar os fins-de-semana (incluindo noites) com o progenitor, e a tal namorada mais os 8 dias de férias.

Não vou dizer o que acho dessa mulher-Juíza, não vou dizer o que penso do progenitor da minha sobrinha, não vou dizer nada acerca dessa namorada...
Vou deixar aqui o vídeo, da segunda vez que ele foi até à porta de casa dos meus pais com ameaças e a reacção da minha sobrinha. Isto aconteceu já depois de 3 meses com a menina a ver o progenitor (quase) 1 vez por semana. Deixo para vocês verem, partilharem e julgarem esta situação porque ou eu estou maluca de todo e sou a única que acha isto a maior injustiça à fase da Terra, ou essa Juíza devia ser tudo menos Juíza!!!

VIDEO 1
Quando a minha sobrinha vê que é o progenitor à porta...


VIDEO 2
Quando tentam que a minha sobrinha vá ao colo do progenitor...

A essa Juíza só quero perguntar onde está o BEM desta criança aos olhos dela para lhe fazer uma coisa destas... A essa Juíza só quero que tudo que mereça lhe caia em cima, porque eu acredito na Justiça Divina e quem faz uma criança sofrer desnecessariamente...é pura e simplesmente CRUEL! Essa mulher é cruel, não devia defender as nossas crianças! Não devia ter esse poder!!

Sem comentários:

Enviar um comentário