07/05/2017

DIA DA MÃE


Dia da Mãe e quando a tua mãe não é a tua mãe biológica.

Não, não se assustem. Não sou órfã, não sou adoptada, não vivo num mundo onde não sei quem é a minha mãe nem vou expor nenhuma desgraça ou história de tragédia. Mas vivo numa normalidade diferente da conhecida pela sociedade. A minha mãe é a minha avó paterna. Sempre foi, sempre será.
Circunstâncias da vida assim o quiseram.
Vivo com os meus avós paternos desde os meus 3 meses de vida, e hoje acho que foi o melhor que me podia ter acontecido. Mais uma vez, uma normalidade minha diferente da normalidade aceite e/ou conhecida pela sociedade.

Nunca perdi contacto com a minha mãe biológica, nem com a minha família (pai e irmã) mas acho que nunca vi a minha mãe biológica como mãe e em muitos momentos ao longo da minha vida senti que ela sente o mesmo. Não sou tratada como a minha irmã, e como poderia? Embora a chame mãe, embora goste dela, amo a minha avó como mãe. É diferente. 

Vejo os sacrifícios que só uma mãe faria na minha avó. Vejo o amor e carinho que só uma mãe sente na minha avó. Vejo-a defender-me como mãe. Vejo-a como mãe, amo-a como mãe, e estou grata por tê-la na minha vida. 


Por isso, o Dia da Mãe para mim será sempre dedicado à minha avó e a mais ninguém e sei que não poderia ter alguém ao meu lado melhor do que ela!

Feliz Dia da Mãe "Gininha"!
:)

1 comentário: